quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A CORRUPÇÃO EM PORTUGAL


Uma das características do Portugal do século XXI é a corrupção legal e a ilegal.
A corrupção legal é praticada pelo homem mais rico de Portugal, o dono dos supermercados «Pingo Doce» foge aos impostos, legalmente, com a bênção da troika, indo pagá-los à Holanda. Contra a corrente, já ouvi na «SIC Notícias» um comentador dizer que as leis que permitem a fuga aos impostos do dono do «Pingo Doce» pertencem ao domínio da patologia.
E a legal e a ilegal é prática corrente nos municípios. Os partidos do Centrão da Corrrupção PSD e PS andaram anos e anos a alimentar a corrupção autárquica. Depois para deitarem areia para os olhos do eleitorado, resolveram limitar os mandatos no mesmo município, mas o mesmo autarca passa a praticar a corrupção noutro município se vencer as eleições.
E para maximizarem a corrupção querem que os vereadores sejam todos do mesmo partido, todos do partido do presidente do município, o que representará um aumento da corrupção em mais de mil por cento. Por enquanto o CDS opõe-se a mais uma negociata do Centrão para aumentar ao máximo possível a corrupção autárquica.
Na Irlanda há uma lei que obriga os endinheirados a explicarem como ganharam o dinheiro. Se uma lei destas existisse em Portugal, grande parte da riqueza da classe política seria questionada e não haveria explicação válida para a origem da riqueza. Não se saberia de onde veio o dinheiro de muitos políticos, como não se sabe, actualmente.
Depois há a corrupção nas PPP (Parcerias Público Privadas), nas compras de material militar muito caro como submarinos, por exemplo, nos tachos do Catroga, do Borges e outros afins…

Sem comentários:

Enviar um comentário