domingo, 5 de agosto de 2012

A BARBÁRIE FINANCIADA E PUBLICITADA COM FALSIDADES PELAS DEMOCRACIAS DA NATO

Os jornalistas ocidentais que invadem a Síria juntos com os terroristas do «ELS» ou Contras eu classifico-os de prostitutas que venderam o corpo e a alma à NATO. 
Como pequeno accionista da RDP (Rádio Difusão Portuguesa) sinto-me na obrigação de classificar o jornalista da RDP que invadiu a Síria junto com os terroristas do «ELS» como uma prostituta que vendeu o corpo e a alma à NATO. Em breve deve ser promovido.

«Depois de ter falhado manter-se em Homs e ter perdido a batalha de Damasco o «Exército “Livre” Sírio» lançou um ataque contra Aleppo.
O «ELS» decidiu tomar o controlo de dois bairros da cidade e dum grande parque público.
O «ELS» conquistou várias esquadras da polícia e massacrou todos os polícias
A maioria da população dos bairros, atemorizada, refugiou-se na parte da cidade controlada pelos lealistas. O «ELS» queria erigir um Emirato islâmico no bairro de AL-Nereb como tinha feito em Baba Amr, um bairro de Homs. Para isso o «ELS» expulsou os residentes não-sunitas que permaneceram, depois de ter massacrado, previamente, as famílias supostamente «favoráveis ao regime».

Neste vídeo, (abaixo) filmado pelo «ELS» em 31 de Julho de 2012, 15 (quinze) membros da família beduína Al-Berri foram encostados contra um muro e fuzilados. Nota-se a extrema excitação dos islamitas que, na maioria, estão sob o efeito de drogas.
Os jornalistas ocidentais “introduzidos” no «ELS», entraram ilegalmente na Síria com os combatentes do «ELS» estacionados na Turquia, foram levados de volta para a fronteira há já vários dias, para não assistirem às execuçõesEles foram transportados só alguns dias pelos serviços de relações públicas da NATO, só viram o que os outros lhes quiseram mostrar e que encenaram para eles. Eles persistem em descrever a situação como uma ‘revolução popular e democrática (?!!!)’, se bem que eles tenham constatado, com os seus próprios olhos que os combatentes vinham da Turquia e que só tinham apoio na Síria de grupúsculos de fanáticos religiosos.»


Para além da falsidade, a comunicação social ocidental dominante é de uma crueldade sem limites.
Amanhã faz anos o genocídio de Hiroxima. Essa monstruosa barbárie que foi o genocídio dos civis de Hiroxima será «justificada» pela comunicação social ocidental dominante, porque foi barbárie «em nome da Democracia».

                                       

Sem comentários:

Enviar um comentário