terça-feira, 21 de agosto de 2012

CRUELDADE E HIPOCRISIA HOMICIDA DA CGTP

«Como afirma o NUM “os culpados da violência e dos assassinatos, alguns já presos, têm de ser condenados”.» (CGTP)
Atenção  -  A CGTP não pede a condenação dos polícias assassinos, pede a condenação dos trabalhadores grevistas, por não pertencerem aos sindicatos com os quais a CGTP se dá bem, como o atrás referido «NUM». Esta crueldade homicida da CGTP é qualquer coisa de hitleriano, de nacional-socialismo. Custa a acreditar, mas é verdade, nada melhor do que ler o texto integral da CGTP, mais abaixo, sobre fundo amarelo.
Este ódio homicida aos trabalhadores grevistas da África do Sul, mostrado pela CGTP, mostra a razão pela qual, em Portugal, os partidos da «troika», PSD, CDS e PS têm muitos votos. À sua esquerda há quem defenda a mais horrenda barbárie, de tipo nacional-socialista.
«Santa» hipocrisia!
Supõe-se, que, se numa mina portuguesa, os mineiros aderissem a um sindicato fora da CGTP e da UGT, e fossem assassinados a mando de Pedro Passos Coelho e de Paulo Portas, a CGTP pediria a prisão e condenação desses mineiros, mas não dos polícias assassinos.

«CGTP-IN toma posição sobre acontecimentos na África do Sul
19 de Agosto de 2012 por Bruno Carvalho
Queridos camaradas da COSATU,

É com muita preocupação que a CGTP-IN, central sindical portuguesa, e os seus sindicatos filiados, incluindo o dos Mineiros, seguem os mortíferos confrontos na mina de platina em Lonmin.

Expressamos, em primeiro lugar, as nossas mais sentidas condolências aos familiares das vítimas e condenamos todos os atos de agressão, particularmente por parte da força de polícia.

Concordamos inteiramente com a posição do vosso filiado, o Sindicato Nacional dos Mineiros (NUM) ao declarar que “a perda de vidas humanas foi desnecessária e a violência nunca poderá sobrepor-se ao diálogo”. Nada pode justificar os bárbaros assassinatos pela polícia, a sangue frio, a que assistimos.

Estamos conscientes de que o contexto por detrás da violência em Lonmin reside no facto de a empresa mineira sabotar os processos e estruturas de negociação e de ignorar o atual contrato coletivo, tentando ao mesmo tempo dividir os trabalhadores e os sindicatos.

É preocupante que a violência e a repressão policial possam estar a dar sinais de regressar ao país de Mandela, que foi um brilhante exemplo de uma das mais corajosas lutas pela democracia, pela liberdade e pela igualdade que o mundo jamais conheceu.

Queridos Camaradas,

Como afirma o NUM “os culpados da violência e dos assassinatos, alguns já presos, têm de ser condenados”.

Finalmente, transmitimos a nossa fraterna solidariedade à COSATU, aos trabalhadores e ao povo da África do Sul, neste momento de dor, mas também de construção de uma sociedade de paz, desenvolvimento e justiça social.

Augusto Praça
Secretário Internacional
Comissão Executiva da CGTP-IN – Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário