domingo, 12 de agosto de 2012

A DESILUSÃO DEMOCRÁTICA NO SÉCULO XXI

Uma das características dos tempos que correm, para quem considera que a Democracia Contemporânea não é só o voto e a liberdade de expressão, mas também o respeito pelos Direitos Humanos e pelo Direito, quer nacional, quer internacional, e a distribuição da riqueza o menos desigualitária possível, é a desilusão democrática.
Não foram nem o George W Bush, nem o Obama que inventaram a Democracia Contemporânea, nem o Sarkozy, nem o Hollande.
A desilusão democrática começa pela dupla Obama-Hillary Clinton, que ainda pensam e agem à maneira do Far-West, tal como George W Bush.
As esperanças em Barack Obama e Hillary Clinton goraram-se rapidamente. Assim como se goraram rapidamente, as esperanças depositadas em François Hollande, na prática um segundo Sarkozy.
Barack Obama imita George W Bush, na aplicação da lei do Far-West, tortura em Guantánamo e respectivas Sucursais, incluindo tortura até à morte, condenações à morte sem julgamento e respectivas execuções, à maneira da Máfia da Sicília ou com aviões comandados à distância chamados «drones».
A cumplicidade de todos os países da NATO é factual. Se algum país da NATO tivesse valores diferentes da tortura, incluindo tortura até à morte, e da condenação à morte sem julgamento, e da execução destes assassinatos já tinha saído da NATO.
Até países fora da NATO participaram nestas selvajarias como a «neutral» Suécia dos prémios Nobel.
A Democracia, em todos os países da NATO, implica tortura, incluindo tortura até à morte, condenações à morte sem julgamento e respectivos assassinatos, e invasão directa ou indirecta de países soberanos, membros da ONU. Estes valores selvagens factuais das democracias da NATO tiram a estes países toda a autoridade ética-moral para pregarem os Direitos Humanos. Não têm autoridade para pregar valores, que, na prática política, desprezam em absoluto.
Quem, vivendo nestes países, é a favor da Democracia, dos Direitos Humanos e do Direito Internacional, está numa época de grande desilusão.

Sem comentários:

Enviar um comentário