quinta-feira, 19 de julho de 2012

A RÚSSIA E A CHINA VÃO AJOELHAR-SE E RECEBER ORDENS DA NATO NA ONU?

Portugal não é um país independente, mas um protectorado da Alemanha, sob o ponto de vista financeiro, económico e político e é ainda súbdito militar dos Estados Unidos, na qualidade de membro da NATO.
O Brasil não pertence à NATO, é um país independente, mas é difícil encontrar na língua portuguesa órgãos de comunicação social que não sejam apoiantes do imperial-colonialismo da NATO.
Assim como Obama é O George W Bush negro e se perder as eleições de Novembro de 2012 não se perde grande coisa, François Hollande é o Sarkozy do Partido Socialista da França, é um Sarkozy 2, igualmente mentiroso, colonialista e como todos os seus colegas da NATO, praticante de raptos, torturas, incluindo torturas até à morte na rede Guantánamo e Sucursais, que é um Crime contra a Humanidade colectivo de todos os países da NATO, sem nenhuma excepção. Guantánamo é o Auschwitz do século XXI e é apoiado, na prática, por François Hollande. 

«Moscovo liga atentados terroristas a discussão de resolução na ONU
Publicado ontem às 14:59
A Rússia classificou como «perigoso» o aumento das atividades dos terroristas na Síria no mesmo dia em que o Conselho de Segurança da ONU discute a crise no país, disse hoje Guennadi Gatilov, vice-ministro russo dos Negócios Estrangeiros.
«É uma norma perigosa que, quando no Conselho de Segurança da ONU têm lugar discussões sobre a normalização síria, os terroristas aumentam operações para fazer gorar tudo», escreveu o diplomata russo na sua conta no Twitter.
Serguei Lavrov, ministro russo dos Negócios Estrangeiros, considerou que, nesta situação, aprovar sanções internacionais contra o regime de Bashar Assad significará apoiar o movimento insurreto.
«Em vez de acalmar a oposição, alguns dos nossos parceiros não fazem mais do que incitá-los a continuar a luta...Mais, seguramente que já ouviram falar das operações 'Vulcão de Damasco', 'Batalha pela capital' e 'Combate decisivo'», comentou Lavrov.
O chefe da diplomacia russa defende que apoiar a oposição «conduz a um impasse, porque o Presidente Bashar Assad não sairá por vontade própria».
«Exercer pressões sobre uma das partes do conflito significa participar numa guerra civil e ingerir-se nos negócios internos de um Estado», concluiu.
Moscovo liga atentados terroristas a discussão de resolução na ONU
Publicado ontem às 14:59
Em cima da mesa do Conselho de Segurança da ONU estão dois projetos de resolução. O projeto russo prevê o prolongamento da missão de observadores das Nações Unidas por mais três meses, mas não contém qualquer tipo de sanções contra o regime de Bashar Assad.
O projeto britânico, que é apoiado também pela França e Estados Unidos, prevê sanções segundo o capítulo VII da Carta da ONU.
Os países ocidentais ameaçam não prolongar a missão de observadores se a China e Rússia não apoiarem esse documento.»
Mas os tais países ocidentais que transformaram Guantánamo no Auschwitz do século XXI, ética e moralmente estão ao mesmo nível qualitativo de Adolf Hitler. Tal como Hitler praticam a prisão arbitrária, o rapto e a tortura, incluindo tortura até à morte, e mandam fazer assassinatos (ao estilo da Máfia da Sicília, ou com meios aéreos). Condenam à morte homens mulheres e crianças de todas as idades, sem julgamento. Tal como Hitler desprezam, na prática, em absoluto, a condição humana e invadem países soberanos, só porque lhes apetece. 

Sem comentários:

Enviar um comentário