sábado, 7 de julho de 2012

COMPARAR ATLETISMO E FUTEBOL

Nos Europeus de atletismo, que terminaram em 1 de Julho de 2012 em Helsínquia, na Finlândia, Ana Dulce Félix conquistou a medalha de ouro nos 10 mil metros, Patrícia Mamona foi medalha de prata no triplo salto, e Sara Moreira alcançou o bronze na prova dos 5000 metros.



As três referidas atletas conseguiram os mínimos para os Jogos Olímpicos de Londres de 2012, entre 27 de Julho e 12 de Agosto.
Para conquistar uma medalha de ouro em atletismo não é permitida batota, não é permitido o doping, nem são permitidas as «falsas partidas», isto é, que o ou a atleta comece a correr antes dos outros.
No Campeonato de Futebol de 2012 na Polónia e na Ucrânia foi permitida a batota.
 Mas o mais curioso é que por detrás dessa batota estão ordens dos dirigentes da UEFA aos árbitros corruptos, como os portugueses que arbitraram a final pra prejudicarem a Itália, a quem tiraram o Direito a um penálti, quando a Itália estava a perder por 2 – 0, e inventaram um inexistente «offside» contra a Itália, para um jogador italiano não se isolar para ficar sozinho frente ao guarda-redes adversário, estava também a Itália a perder 2 – 0. Era «perigoso» que a Itália fizesse o 1 – 2, depois podia empatar, e a seguir até ganhar a final.
A Ucrânia marcou um golo limpo contra a Inglaterra que foi anulado. Este escândalo da arbitragem, do golo legal anulado pela máfia Platini - árbitros corruptos, foi de tal maneira perigoso para os negócios da UEFA, que agora vão usar câmaras de filmar para determinarem se a bola entra ou não na baliza.
No entanto o super-escandaloso jogo Croácia – Espanha foi decisivo para a vitória final no torneio. Para os dinheiros da UEFA, a vitória final tinha que ser para a Alemanha ou para a Espanha. Nem com a ajuda dos árbitros a Alemanha conseguiu chegar à final.
Ora milhões de pessoas viram e gravaram o jogo Croácia – Espanha, no qual a arbitragem corrupta, impediu a Croácia de marcar dois penáltis, o segundo quando estava 0 – 0, a 4 minutos dos 90 minutos finais.
Esta exclusão criminosa da Croácia da prova parece-me pior do que se tivessem permitido o doping e as «falsas partidas» no Europeu da Atletismo em Helsínquia.
A batota vista e gravada por milhões de pessoas na exclusão da Croácia para dar o seu legítimo lugar, em termos desportivos, à Espanha, demonstra que as provas da UEFA de Platini já não são um desporto! São batota comercial.
Como não tenho aqui qualquer interesse nacionalista a favor da selecção de Portugal, também roubada contra a Espanha, porque antes dos 90 minutos foi proibido marcar um panálti, claríssimo, a favor de Portugal e, obviamente, contra a Espanha, exponho a seguir um vídeo que mostra como foi marcado, de maneira fraudulenta, um falso penálti a favor de Portugal, em 1983, em Lisboa, no Estádio da Luz:

Sem comentários:

Enviar um comentário