quinta-feira, 28 de junho de 2012

UM OLHAR CRÍTICO PARA O FUTEBOL

O futebol contemporâneo foi, efectivamente, inventado pelos ingleses, no século XIX. Não me quero debruçar aqui sobre desportos similares, na China Antiga, no Japão Antigo, na Grécia Antiga, no Império Romano e na Itália medieval, repito, refiro-me ao futebol contemporâneo.
Em 1863 foi fundada na Inglaterra a «Football Association», fazendo com que se criassem regras para a prática do jogo entre as equipas. Formavam-se assim tabelas, datas dos jogos, ou seja, controlava-se a prática. As equipas eram formadas pelas fábricas espalhadas pelas diversas cidades do país. Os jogadores destas equipas eram os próprios funcionários destas fábricas, que disputavam jogos, geralmente nos sábados de tarde (tradição existente até hoje no Campeonato Inglês de Futebol) no dia em que tinham folgas. Muitas pessoas iam assistir a esses jogos. 
Esta a razão, por que muitos clubes têm o nome em inglês.
Há muitos exemplos, na cidade italiana de Milão, com o nome em italiano de Milano, há um clube com o nome em inglês o «A C Milan». Em Portugal, entre os clubes que ganharam mais troféus, sobretudo o Campeonato de Portugal e a Taça de Portugal, há um conhecido pelo nome em inglês, que é o Sporting. Se formos para a América do Sul, temos o «River Plate» na Argentina.
No século XXI o futebol tornou-se, assumidamente, um jogo corrupto, um jogo mafioso, mais objectivamente, um jogo criminoso.
A transformação do futebol num jogo, claramente mafioso, no século XXI, é assumida pelos próprios jogadores, pelos treinadores, pelos dirigentes nacionais e dos clubes, pelos jornalistas, salvo algumas excepções, e obviamente, pelos dirigentes da UEFA e da FIFA e pelos árbitros, e também por grande parte dos adeptos. O rosto mais conhecido da máfia do futebol, é o francês Platini, o padrinho da máfia da UEFA. Até hoje só na Itália houve uma reacção efectiva contra a corrupção no futebol, ao ser retirado o título de Campeão da Itália, ao clube que venceu esse campeonato, a «Juventus», através da corrupção.
Mas a corrupção também existiu no século XX, só que no século XXI foi instituída como lei, excepto, como foi atrás referido, na Itália, relativamente ao caso «Juventus».
Aproveito para mostrar um caso de batota, a favor de Portugal, em 13 Novembro de 1983, em Lisboa, no Estádio da Luz, e ao mesmo tempo para salientar a honestidade do jornalista da RTP, que disse, claramente, que o penálti, marcado a favor de Portugal foi ilegal.

Um dos mais caricatos casos de batota no futebol, foi no jogo França-Irlanda, em que o jogador francês Thierry Henry joga andebol, num jogo de futebol (!!!), isto é, prepara a bola com a mão, como se faz no andebol, bem à vista dos árbitros, e depois passa a bola a um colega que faz golo. Os jogadores assumem de tal maneira o futebol como um jogo corrupto, que Thierry Henry festejou de forma esfusiante o seu jogo de andebol, numa partida de futebol. Essa jogada mista de andebol e futebol é que decidiu o apuramento da França para o Mundial de Futebol (não de Andebol) na África do Sul, realizado em 2010.



Uma das razões que torna o futebol muito popular são as suas variantes, que permitem que jogadores de baixa estatura sejam dos melhores, enquanto, por exemplo, no basquetebol isso é impossível, a alta estatura é um factor decisivo, e o facto de ser um jogo colectivo (tal como o basquetebol) muito diferentemente do golfe (o mais bem pago de todos) e do ténis.

Não pretendo aqui emitir opinião sobre quem foi o melhor futebolista de sempre, tanto mais que o Brasil é um país de língua portuguesa, mas parece-me mais consensual considerar os dois melhores jogadores de futebol de sempre dois sul-americanos, Pelé e Maradona.

Diego Maradona tem de altura 1,66 m, Puskas tinha também 1,66 m, Lionel Messi tem 1,69 m, Pelé tem 1,71 m, Eusébio tem 1,75 m e Cristiano Ronaldo tem 1,85 m (Fonte: Wikipedia, consultei todos em mais que uma língua), esta considerada a altura ideal para um futebolista, porque muito mais alto, torna-se mais pesado e, por isso, mais lento.

Sem comentários:

Enviar um comentário