terça-feira, 26 de junho de 2012

A FACTURA DOS TRAIDORES

A assinatura da legislação da moeda euro e do ilegitimamente chamado «Banco central Europeu» pelos países da zona euro, excepto pela Alemanha, foi um acto de traição de todos os outros governos às respectivas pátrias.
A Alemanha começou a arruinar as indústrias concorrentes, dos outros países do euro, nomeadamente da França e da Itália.
A crise da zona euro ainda mal começou, depois da Espanha já está a atingir em força a Itália e a seguir atingirá a França.
O «BCE» ao não ter «eurobonds» (títulos de dívida compartilhados por todos os países do euro) beneficia, claramente, a Alemanha, à custa do empobrecimento de todos os outros países do euro, obviamente, incluindo a França.
Pedro Passos Coelho é contra os «eurobonds». Os «eurobonds» seriam excelentes para Portugal e para os portugueses e portuguesas. Pedro Passos Coelho é um traidor, Pedro Passos Coelho é um inimigo de Portugal.
O actual imperialismo alemão é um imperialismo de vencidos, durante o III Reich chegaram a dominar todo o continente europeu até às portas de Moscovo, nunca os alemães tinham sido tão poderosos, mas mesmo assim, esse enorme poder não foi suficiente. Ainda a guerra não tinha acabado e já as tropas de Estaline tinham expulsado, casa a casa mais de dez milhões de civis alemães para oeste dos rios Óder e Neisse, as fronteiras da Alemanha do século X (dez). Depois da unificação da Alemanha, nos finais do século XX, o governo alemão reconheceu a fronteira da linha Óder-Neisse, não tinha alternativa. As terras a leste da linha Óder-Neisse foram conquistadas aos eslavos pela Ordem Teutónica. Estaline deu quase todas essas terras aos eslavos da Polónia. (A propósito do Euro de Futebol 2012 e dos combates entre polacos e russos, mostra, muito claramente, que os polacos são muitíssimo mal agradecidos. Os russos deram-lhes todas as terras alemãs, perto da Polónia, a leste dos rios Óder e Neisse, e tiraram-lhes uma área equivalente, que entregaram à Bielorrússia, só que as terras conquistadas à Alemanha eram muito mais ricas).
A seguir apresento um mapa do III Reich.
Agora mostro uma fotografia de Berlim no auge do III Reich e depois outra, também de Berlim, que dispensa apresentação e comentários.
                                                  
                         
                         
A Alemanha de hoje tem pés de barro e telhados de vidro.

1 comentário: