terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O GOVERNO PSD-CDS ESTÁ A TRANSFORMAR PORTUGAL NUMA NOVA GRÉCIA



«Responsáveis políticos de outros países do mundo, tomem nota: passar fome não é o caminho para a saúde e aumentar o desemprego não é uma fórmula para ter a confiança do mercado.» ( Bradford DeLong, in «Público» on-line)

O palavreado do governo de Portugal PSD-CDS é muito «bonito».
Injustiças sociais em cima injustiças sociais, já classificadas de «terrorismo social» pelo novo líder da CGTP Arménio Carlos. E é mesmo terrorismo social, especialmente sobre os funcionários públicos e sobre os reformados. Mas este terrorismo social não está a dar o resultado que Passos Coelho e Paulo Portas pensavam. Antes pelo contrário, os tais famosos mercados estão a colocar Portugal numa situação igual à que a Grécia tinha há uns meses atrás.



«Risco da dívida portuguesa bate novos máximos históricos no dia em que os líderes europeus quiseram colocar a palavra crescimento na agenda.

Oficialmente a escalada dos juros da dívida portuguesa não esteve na agenda dos líderes europeus na cimeira de ontem. Mas a subida descontrolada dos prémios de risco leva os bancos de investimento internacionais a duvidar cada vez mais de que Portugal sobreviva sem um novo empréstimo por parte da UE e do FMI. Temem também que o país viva uma situação semelhante à que a Grécia está a atravessar.

Um dos estrategas de investimento do Deutsche Bank admitiu a possibilidade da situação portuguesa ser abordada dadas as elevadas subidas dos prémios de risco. As taxas de rentabilidade exigidas no mercado secundário para comprar dívida portuguesa a dez anos subiu ontem de 15,22% para 17,393%, valor semelhante ao da Grécia há cinco meses. Nas maturidades entre dois a cinco anos, os juros dispararam para mais de 20%. O mercado está a exigir mais 15 pontos percentuais para comprar dívida portuguesa a dez anos em vez de títulos alemães, o maior diferencial de sempre.

Desde que a S&P cortou, a 13 de Janeiro, o ‘rating' de Portugal para investimento especulativo, a taxa elevou-se de 12,4% para mais de 17%, um dos piores desempenhos na Europa.» (In «Diário Económico» on-line)

O SUICÍDIO ANUNCIADO DA UNIÃO EUROPEIA


O Reino Unido e a República Checa não assinaram as imposições de Ângela Merkel, que conduzem a União Europeia a um anunciado caminho para o  suicídio.

Pedro Passos Coelho e todos os governantes que se deixaram dominar pelas ideias neoliberais-neoconservadoras de Ângela Merkel estão a conduzir a União Europeia para o suicídio.

Limites ao défice, a escrever nas Constituições ou leis semelhantes, e ainda por cima regime de sanções terão efeitos suicidários.

Transformar o Banco Central Europeu num Banco normal que empreste dinheiro directamente aos Estados, como faz a Reserva Federal dos EUA, nem pensar. Esta aberração que é o BCE vai continuar a sê-lo. A emprestar dinheiro a 1% aos bancos privados para estes emprestarem esse mesmo dinheiro ao Estado da Itália a 7%!!!!!!!!!!!!!!!!!  Estas são as ordens de Ângela Merkel.

Transformar o euro numa moeda normal como é o dólar, nem pensar, o euro continuará, tal como o BCE a reger-se por normas aberrantes. Assim ordena Ângela Merkel e 24 governos irresponsáveis aceitam as ordens vindas da Alemanha neoliberal-neoconservadora.


«MAIS LIMITES AO DÉFICE E REGIME DE SANÇÕES

O pacto orçamental irá reforçar a disciplina das finanças públicas dos Estados-membros, designadamente através da introdução legal de limites ao défice e à dívida e de um regime de sanções.

A chamada "regra de ouro", que os países devem inscrever "preferencialmente" na Constituição, embora o texto final agora aprovado admita a possibilidade de ficar consagrada de uma outra forma desde que com valor vinculativo e permanente, obriga cada Estado-membro subscritor do pacto a não ultrapassar um défice estrutural de 0,5 por cento e a ter uma dívida pública sempre abaixo dos 60 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Quem não cumprir estas disposições poderá sofrer sanções pecuniárias, até 0,1 por cento do PIB, impostas pelo Tribunal Europeu de Justiça, e cada Estado-membro compromete-se a colocar em prática internamente um "mecanismo de correcção", a ser activado automaticamente, em caso de desvio dos objectivos, com a obrigação de tomar medidas num determinado prazo.

Por outro lado, o limite tolerado para os défices públicos anuais permanece nos três por cento do PIB, tal como contemplado no Pacto de Estabilidade e Crescimento, mas quem violar esta regra fica mais sujeito a sanções.

Por fim, o tratado prevê que se realizem anualmente pelo menos duas cimeiras apenas e só na zona euro, mas com as portas abertas a todos os países signatários do pacto pelo menos uma vez por ano.» (In «Correio da Manhã» on line)



segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

A QUEDA DE 3 PRÉDIOS NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO






À primeira vista quando ocorre um problema desta natureza, seja onde for, ocorre a ideia do erro humano. E parece que foi um conjunto de erros humanos que deu origem a este acontecimento trágico.

Os custos humanos destas derrocadas foram elevados.

Os mortos confirmados e o número de desaparecidos são as baixas humanas, sempre de lamentar.

«O comandante dos bombeiros, coronel Sérgio Simões, que coordena as buscas por corpos ainda desaparecidos nos desabamentos dos três edifícios na Cinelândia, disse que o trabalho só termina quando estiveram esgotadas todas as possibilidades de encontrar as vítimas. O coronel, no entanto, não descartou a hipótese de alguns corpos não serem encontrados. Até agora, 17 corpos foram localizados e 13 deles, identificados.

— Em alguns pontos houve muito fogo, então alguns corpos podem ter sido carbonizados. Por isso, o trabalho é mais minucioso, porque podemos encontrar algum dente ou osso — disse o coronel.

Na tarde deste domingo, o coronel confirmou que seis partes de corpos foram encontradas no depósito da Rodovia Washington Luiz, para onde foram levados os destroços já retirados dos edifícios que desabaram na Cinelândia, e onde os bombeiros trabalham, na tentativa de encontrar os cinco corpos que ainda estão desaparecidos. Segundo ele, no entanto, não é possível identificar nem de que partes do corpo humano se tratam e apenas um exame de DNA poderá comprovar se eles são de vítmas já reconhecidas ou das que ainda não foram identificadas ou encontradas.

Segundo informou a rádio CBN, partes de corpos encontradas no depósito da Comlurb deram entrada no Instituto Médico-Legal no fim da noite de sábado. Não se sabe se os membros pertencem a uma mesma pessoa. De acordo com o IML, só por meio de exames será possível fazer a identificação.

As buscas no local continuam principalmente no duto de ventilação, onde havia muitos escombros. Segundo Simões, o trabalho nesse local é mais manual. Neste domingo, os bombeiros utilizaram a escada magiros para verificar na estrutura do edifício Liberdade que ainda está de pé, se ainda há corpos não encontrados, que poderiam ter ficado presos em bolsões de ar entre as lajes.

- Há um cheiro muito forte no duto de ventilação do edifício. Esse pode ser um indício de que ainda podem ter corpos ali. Vamos continuar o trabalho manualmente até esgotar todas as hipóteses - disse simões.

O secretário de Conservação do Município do Rio, Carlos Roberto Osório, informou na manhã deste domingo que todos os escombros retirados estão agora concentrados no terreno na Washington Luiz, sob guarda da polícia. Fotos publicadas pelo jornal “Folha de S. Paulo” no sábado mostram funcionários da empresa Porto Novo revirando os entulhos dos prédios que estavam provisoriamente na Zona Portuária e retirando objetos de valor, cabos elétricos e telefônicos e peças de metal.

— Foi verificado este problema, e ele foi sanado. Hoje todos os escombros estão na Washintgon Luiz, sob guarda da polícia. O caso está encerrado. Instalamos câmeras para ter total segurança. E o material está à disposição da perícia — disse Osório.

O prefeito Eduardo Paes chamou de "delinquentes" os funcionários flagrados vasculhando os destroços.» (In «O Globo» on line)





Quando olhamos para a arquitectura urbana brasileira pensamos em Óscar Niemeyer, um caso de excelência, Óscar Niemeyer é considerado um dos melhores arquitectos do século XX, a nível mundial.





A GRÉCIA COMO COLÓNIA DA ALEMANHA – PORMENORES



Aqui vão pormenores da intenção de transformar a Grécia numa colónia da Alemanha neoliberal-neoconservadora de Ângela Merkel.

É curioso lembrar que foi a política neoliberoal-neoconservadora inscrita nos tratados de Maastricht e de Lisboa, que destruiu a economia da Grécia. Devido a estes aberrativos tratados que regulamentam a moeda euro e o BCE, parte muito considerável da dívida da Grécia são juros especulativos pagos a bancos privados, devido à proibição de o Banco Central Europeu emprestar dinheiro directamente aos Estados, mas ser obrigado pelos aberrativos tratados de Maastricht e de Lisboa a dar lucro aos bancos privados que fazem a intermediação. O BCE emprestou dinheiro a bancos privados para estes cobrarem uma taxa para eles próprios, antes do dinheiro chegar ao Estado da Grécia, e não só.

O BCE emprestou dinheiro ao Estado da Itália, desta aberrante maneira: emprestou a 1% o dinheiro aos bancos privados, para estes cobrarem 6% de lucro antes do dinheiro chegar ao Estado da Itália. O Estado da Itália teve que pagar 7% pelo dinheiro que saiu do BCE a 1%!!!



«Garantia de conformidade no âmbito do 2º Programa GRC

I. Background
De acordo com informações da Troika, a Grécia provavelmente falhou objectivos chave do programa novamente em 2011. Em particular, o défice orçamental não diminuiu em relação ao ano anterior. Portanto, a Grécia terá que melhorar consideravelmente o cumprimento do programa no futuro para honrar seus compromissos com credores. Caso contrário, a zona euro não será capaz de aprovar garantias para GRC II.

II. Proposta de melhoria do cumprimento
Para melhorar o cumprimento do programa de segunda, o novo Memorando de Entendimento terá que conter dois inovadores elementos institucionais com os quais a Grécia terá de se comprometer. Estes tornar-se-ão passos necessários para o segundo programa. Somente quando estes forem implementados, o novo programa pode começar:

1. Prioridade absoluta ao pagamento da dívida
A Grécia tem de comprometer-se, legalmente, a dar prioridade absoluta ao futuro pagamento da dívida. Este compromisso tem de ser legalmente consagrado pelo Parlamento grego. As receitas do Estado devem ser usadas prioritariamente para o pagamento da dívida, somente a restante receita pode ser usada para financiar as despesas primárias. Isto irá tranquilizar os credores públicos e privados assegurando que a República Helénica honrará os seus compromissos após PSI e influenciar positivamente o acesso ao mercado. A Eliminação de facto da possibilidade de um default faria a ameaça do não desembolsar da nova tranche do GRC II muito mais credível. Se uma futura tranche não for desembolsada, a Grécia não pode ameaçar os seus credores com um default, mas em vez disso, terá que aceitar novos cortes nos gastos básicos como a única consequência possível de do não desembolsar de uma nova tranche.

2. Transferência de soberania orçamental nacional
A consolidação orçamental tem de ser posta sob uma direção rigorosa e sistema de controle. Dado o cumprimento decepcionante até agora, a Grécia terá de aceitar transferir a sua soberania orçamental para o nível europeu por um determinado período de tempo. Um comissário do orçamento terá de ser nomeado pelo Eurogrupo com a tarefa de assegurar o controlo orçamental. Ele deve ter o poder a) para implementar uma comunicação centralizada e um sistema de vigilância que cubra todos os grandes blocos de despesas no orçamento grego,
b) de vetar as decisões não se coadunam com os objectivos orçamentais fixados pela Troika e
c) será encarregado de garantir a conformidade com a regra acima mencionada para priorizar o pagamento da dívida.

A nova e abordagem institucional devem ser formuladas no Memorando de Entendimento da seguinte forma:
“No caso de incumprimento, confirmado pelo BCE, FMI e UE COM, um comissário nomeado pelo novo orçamento do Eurogrupo ajudaria a implementar reformas. O comissário terá competências de vigilância ampla sobre as despesas públicas e um direito de veto contra as decisões orçamentais não se coadunam com os objectivos estabelecidosorçamentais e do Estado dar prioridade ao pagamento da dívida. “A Grécia tem de assegurar que o novo mecanismo de vigilância é totalmente consagrados na legislação nacional , de preferência por meio de revisão constitucional.”» (In blog «5 dias»)



«O Banco Central Europeu declarou que há países "sem margem de manobra orçamental", onde se incluiria Portugal. As declarações do BCE são performativas, ou seja, ajudam a criar a desgraçada realidade que aparentemente se limitam a descrever. É que o BCE, apesar de não ter qualquer controlo democrático, tem poder monetário. Numa altura de crise, e enquanto o desemprego permanecer nestes níveis não há razão para usar outro termo, as políticas de austeridade à escala europeia, assentes no corte da despesa pública, já estão a causar os resultados previstos: aumentam os riscos de depressão, de crise no sistema financeiro e, de forma só aparentemente paradoxal, nas próprias finanças públicas. A reabilitação da crença na auto-regeneração dos mercados tem custos sociais elevados.

Neste contexto, o BCE, que já usou relutantemente o seu poder monetário ao intervir nos mercados secundários de dívida pública, deveria comportar-se como um verdadeiro banco central e financiar directamente os Estados em dificuldades, que assim teriam margem de manobra para levar a cabo uma política de investimento gerador de emprego. Em vez disso, o BCE compra dívida pública aos bancos, que assim têm o seu negócio garantido, impedindo que uma restruturação da dívida dos países periféricos, arma negocial importante, ameace o sistema financeiro do centro. O BCE está proibido pelos tratados europeus, que o bloco central irresponsavelmente assinou, de financiar as dívidas dos Estados. Esta separação por decreto das políticas orçamentais e monetárias, a pretexto do combate a uma inflação inexistente, pode ser fatal para o projecto de integração europeu num contexto deflacionário.

O problema da obsessão com regras liberais no campo da política económica é fazer tábua rasa das tendências destrutivas do capitalismo - que só podem ser contrariadas com o uso dos poderes públicos -, transformando essas tendências em oportunidades para destruir o Estado social e as regras laborais que garantem uma economia minimamente civilizada. Obviamente, estas questões nunca são mencionadas por Cavaco Silva, sempre ufano a mostrar as suas credenciais de economista, com argumentos de autoridade que empobrecem o debate democrático. Isto quando foram precisamente economistas como Cavaco, os que reduzem quem trabalha a um "factor" descartável, que criaram as regras europeias geradoras de declínio socioeconómico no país. É a política com "p" pequeno. A política com "p" grande vê para lá das estruturas existentes, questionando-as e inspirando a sua reforma para criar novas realidades, mas a partir de uma ideia de subordinação da economia ao poder político democrático que a deve orientar para fins decentes; é a política que introduz a questão europeia no debate político. Esta é hoje a questão nacional mais importante.» (In blog «Ladrões de Bicicletas»)


domingo, 29 de janeiro de 2012

JORNAL JUDEU NORTE-AMERICANO DEFENDE QUE O PR DOS EUA BARACK OBAMA SEJA ASSASSINADO PELA MOSSAD




Apesar de Barack Obama ter traído quase tudo o que disse sobre política externa, há judeus que o querem assassinar. Barack Obama nada fez para que os palestinianos tivessem direito a um Estado independente. Antes pelo contrário, fez o que pôde para prejudicar os palestinianos.





«Andrew Adler, proprietário e editor-chefe do jornal Atlanta Jewish Times, publicou um editorial polêmico essa semana, que vai render-lhe muita dor de cabeça e provocar um incidente diplomático.

Em sua coluna, Adler apontou três possibilidades aceitáveis para Israel lidar com o Irã. A primeira fala sobre ataques a grupos políticos terroristas como Hamas, Hezbollah. Enquanto a segunda menciona destruir as instalações nucleares iranianas, que pretendem em breve abrigar bombas nucleares.

Sua terceira sugestão, contudo, foi que  o premier israelense, Benjamin Netanyahu considere a possibilidade de ordenar que o Mossad, Serviço Secreto de Israel, elimine o presidente dos EUA, Barack Obama. Desta maneira, seu vice-presidente ficaria com o posto. Essa seria a maneira mais eficaz de impedir o programa nuclear iraniano. Para Adler, Obama é um “aliado hostil” e sua política externa poderia por em risco a existência de Israel.

Quando Obama fosse substituído, Israel poderia exigir que “a política externa dos EUA ajude o Estado judeu a exterminar seus inimigos”. Segundo Andrew Adler, círculos internos de Israel já discutiram esta ideia. Afinal, o vice Joseph Biden declarou durante a campanha: “Eu sou um sionista. Você não precisa ser judeu para ser um sionista”. Em outra oportunidade descreveu Israel como o “maior aliado dos EUA no Oriente Médio”.(In «NOTÍCIAS GOSPEL»)

FELIPE GONZÁLEZ FEZ GRAVES ACUSAÇÕES A ÂNGELA MERKEL



Começam a aparecer críticas radicais contra o neoliberalismo de Ângela Merkel.

Uma crítica contundente a Ângela Merkel foi feita pelo antigo presidente do governo da Espanha Felipe González, do PSOE.



«A mania da senhora Merkel» com o défice vai levar toda a Europa à insolvência e «à morte da economia». O alerta foi deixado este sábado (28 de Janeiro de 2012) pelo ex-presidente do governo espanhol, Felipe González.

O ex-governante, que falava num acto de apoio à candidatura de Alfredo Pérez Rubalcaba à secretaria-geral do PSOE em Madrid, afirmou que o Conselho Europeu de segunda-feira é novamente apresentado como histórico, tratando-se da 14.ª vez que anunciam o mesmo em um ano e dois meses.

Para González, que foi também secretário-geral do partido socialista espanhol, era preferível que a reunião de segunda-feira fosse «normalzinha» e que resolvesse dois ou três assuntos, o primeiro dos quais deve ser acabar «com essa mania em que entrou a Merkel» de que o problema da dívida da UE é um problema de solvência.

«Vai tornar-nos a todos insolventes», alertou, sublinhando que «a habilidade dos neo-conservadores», que dominaram o cenário político e ideológico nos últimos 20 anos, é fazer esquecer as causas da crise para se centrar apenas nos seus efeitos, cita a Lusa.

Querem dessa forma, acrescentou, que não se toque nas causas da crise para que continuem hegemónicos no panorama da governação mundial.

Reagindo às declarações de Merkel de que a Europa não pode demorar 10 anos a absorver a dívida, González recordou que as famílias levam 30 anos a pagar uma hipoteca e perguntou por que motivo o défice tem de chegar a 3% em 2013 e não em 2016.

E defendeu que está a esquecer-se que existe um problema de falta de liquidez, que as pequenas e médias empresas «estão a morrer» e está-se a destruir o emprego com «uma cura que leva à morte da economia». (In «TVI24» on line)

COMBATE DE BLOGS


A «SIC Notícias» tornou-se um órgão de propaganda do neoliberalismo e do governo PSD-CDS.

As opiniões à esquerda do PS, praticamente, foram banidas. Curiosamente, o jornalista Mário Crespo, um comissário político do governo PSD-CDS, entre as 21h e 30 min e as 22h dá voz, uma vez por semana, em princípio, a um elemento do PCP e a um elemento do Bloco de Esquerda para defrontarem um elemento da maioria PSD-CDS.

O programa «Quadratura do Círculo» é um dos programas mais desprezíveis de todas as televisões portuguesas. É constituído por 3 elementos da chamada troika interna, um do PSD (que andou a defender a existência de ‘Armas de Destruição Maciça’ no Iraque na era G W Bush), outro do CDS, um colaboracionista muitíssimo bem pago das altas burguesias, e um do PS, que tem variado.

Na «RTP Informação» lá vai aparecendo alguém à esquerda do PS, assim como na «TVI 24».

No «Combate de Blogs» das 23 horas de sábado, 28 de Janeiro de 2012 esteve um direitista neoliberal do blog «Insurgente» e uma bloguista da Esquerda do blog «Esquerda goulash».

Relativamente ao bloguista da direita neoliberal resumo o seu pensamento em duas palavras: desonestidade e crueldade. Eu até penso que a «utopia» das direitas, o seu sonho, seria o regresso à escravatura.

Para as direitas não há classes sociais, há a alta burguesia. Os interesses das altas burguesias são para eles sagrados. As desigualdades sociais para eles devem ser o maior possível. Os trabalhadores assalariados são vistos como animais inferiores, obrigados a sofrer todas as punições possíveis.

São contra o Estado, mas defendem que o Estado financie o ensino privado e deixe ir o ensino público à falência.

A fome, o sofrimento, dos mais desfavorecidos alegra-os, e defendem a ‘caridadezinha’ e pretendem acabar com o direito a existir dos mais desfavorecidos.

Acham que o papel dos sindicatos é assinarem todos os castigos contra os trabalhadores assalariados e todas as benesses para os patrões.

Defendem a fuga ao Fisco legal para os capitalistas e defendem a quase ausência de fiscalização do Fisco para que a fuga ao Fisco ilegal seja o mais alta possível.

Defendem uma sociedade cruel e desumana.

sábado, 28 de janeiro de 2012

AS ABERRANTES IDEIAS NEOLIBERAIS E AS AMBIÇÕES ALEMÃS


Ângela Merkel quer transformar a Grécia numa colónia da Alemanha, quer que a Grécia abdique da sua soberania.


Isto acontece porque as leis neoliberais da moeda euro e do BCE são um conjunto de aberrações. É uma aberração neoliberal o Tratado de Maastricht, é outra aberração neoliberal o Tratado de Lisboa.


Foi Ângela Merkel que destruiu a economia da Grécia, devido às suas ideias neoliberais, com o apoio subserviente dos outros países da zona euro.


A Grécia já rejeitou as exigências da Alemanha. A Grécia ficaria numa situação parecida com a que teve quando esteve sob ocupação alemã, durante a II Guerra Mundial.



Curiosamente, as Portas de Brandenburg, em Berlim, que simbolizam o poderio alemão, são mais ou menos uma cópia, assumida, dos Propileus de Atenas



Foto que simboliza a conquista da capital do III Reich, em 1945, pelo Exécito Vermelho, da União Soviética




Ângela Merkel quer transformar Sarkozy num segundo Pétain. Já anunciou que ia participar, directamente, nas eleições presidenciais francesas ao lado do neoliberal e pouco inteligente Sarkozy.




 Quadro que simboliza a conquista da Alemanha por Napoleão Bonaparte



Esperemos que os franceses não voltem a eleger Sarkozy, um segundo Pétain, o primeiro não foi eleito.









«Alemanha impõe a Atenas perda de soberania para novo resgate


Publicado hoje às 00:32


A Alemanha quer que a Grécia abdique da soberania sobre as decisões orçamentais, transferindo-a para um comissário do Orçamento da Zona Euro.


A Alemanha quer que a Grécia abdique da soberania sobre as decisões orçamentais, transferindo-a para um comissário do Orçamento da Zona Euro, para que Atenas receba um segundo resgate de 130 mil milhões de euros, adianta o Financial Times.


Se todas as medidas ligadas aos impostos e às despesas forem decididas pela União Europeia (UE), o cheque de 130 mil milhões de euros para completar mais uma fase do resgate chega a Atenas.


A ideia da Alemanha é que a Grécia delegue as maiores competências orçamentais num comissário, em espécie de administrador que seria nomeado pelos ministros das Finanças do Eurogrupo e que teria o poder de veto sobre qualquer decisão ligada ao orçamento que não respeitasse as metas fixadas pelos credores europeus.


Atenas teria também de adoptar uma lei comprometendo-se a usar todas as receitas do estado para pagar a dívida.


Se este plano alemão avançar, para restabelecer a confiança dos mercados financeiros e de outros possíveis credores, em jeito de garantia futura, o governo grego terá de assumir que apenas fará face aos gastos correntes depois de ter a dívida coberta.


Clara Osório (In «TSF RÁDIO NOTÍCIAS» Online)







sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

RECORDAR O HOLOCAUSTO




No dia 27 de Janeiro de 1945 o Exército Vermelho da então URSS, às ordens de Estaline, libertou todos os prisioneiros do Campo de Concentração de Auschwitz, judeus, comunistas, homossexuais, eslavos e ciganos.

A ONU estabeleceu o dia 27 de Janeiro como o dia do Holocausto.

Os alemães exterminaram mais de 6 milhões de judeus e número indeterminado de militantes comunistas, homossexuais, eslavos e ciganos.

Há, porém, que não esquecer o genocídio de civis alemães refugiados na cidade museu de Dresden







 pelos aviões ingleses e norte-americanos, o genocídio de civis japoneses, com bombas atómicas, pelos norte-americanos em Hiroxima e em Nagasáki.

Há que não esquecer que foi a Alemanha que provocou a recente guerra na Jugoslávia, ao incitar a Croácia à guerra, ao fornecer dinheiro, metralhadoras, canhões, tanques e mísseis à Croácia. Sem exército como poderia a Croácia fazer uma guerra? A Alemanha fez uma ponte aérea para a Croácia, desembarcando grande número de tanques, com o consentimento dos Estados Unidos, porque a Alemanha, em 2012, ainda está sob ocupação militar dos EUA, devido à derrota na II Guerra Mundial. A guerra da Jugoslávia foi instigada pela Alemanha, com o consentimento dos EUA. Se a Alemanha e os EUA tivessem exigido diplomacia à Croácia, a Jugoslávia tinha-se desmembrado como a Checoslováquia, sem qualquer guerra.

Por outro lado não devemos esquecer que os judeus sofreram e aprenderam com os nazis, tendo o Estado de Israel uma moral selvagem, igual à dos nazis.





Por outro lado a NATO é uma organização semelhante ao eixo Berlim-Roma-Tóquio, cometendo as mesmas selvajarias que os nazis.


O Auschwitz de 2012 é o Campo de Concentração de Guantánamo.

O Campo de Concentração de Guantánamo está a laborar em pleno e da rede de raptos e torturas ligados a Guantánamo fazem parte todos os países da NATO, incluindo Portugal e a hipócrita Noruega dos prémios Nobel da Paz.

















quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O COLONIALISMO E RACISMO DENTRO DA ESQUERDA EM PORTUGAL


No post anterior a este está um texto do jornalista do «Expresso» Daniel Oliveira, ex-Bloco de Esquerda, em minha opinião um texto abertamente colonialista e racista anti-negro. Esta corrente colonialista e racista anti-negro tem grande influência no Bloco de Esquerda e no Partido Socialista. É curioso que todos esses colonialistas e racistas anti-negro da Esquerda são descendentes de negreiros, de homens que vendiam os angolanos como escravos, como se de animais se tratassem.

Já aqui referi que João Soares do PS é um antigo apoiante e colaboracionista do regime do apartheid da África do Sul, e do homem de mão do regime do apartheid sul-africano em Angola Jonas Savimbi. Odeia todos os angolanos e angolanas que se opuseram ao regime do apartheid da África do Sul. Mas João Soares não é único no PS com uma visão colonialista relativamente a Angola.

O Bloco de Esquerda tem uma facção colonialista e racista anti-negro muito influente.

Estes colonialistas e racistas anti-negro da Esquerda portuguesa não vêem a corrupção que domina a III República de Portugal, ou só vêem uma pequena parte, vêem-na como conjuntural e não como estrutural. E olham para Angola como se fosse Angola uma colónia portuguesa.

Relativamente ao jornalista do «Expresso» Daniel Oliveira ele fala contra a Censura, mas escreve no blog «Arrastão» que faz uma Censura muito grande nos comentários.

FALTA DE VERGONHA DE UM DESCENDENTE DE TRAFICANTES DE ESCRAVOS ANGOLANOS


VISÃO COLONIALISTA DE UM DESCENDENTE DE PRATICANTES DO TRÁFICO NEGREIRO EM ANGOLA - DANIEL OLIVEIRA (EX-BE), JORNALISTA DO «EXPRESSO»:

«Em Iquitos, na Amazónia peruana, os magalas, afetados pelo clima e pela abstinência, andavam com os nervos em franja. De todos os povoados chegava a mesma queixa: os soldados dedicavam-se ao estupro indiscriminado (se é que há outro), manchando a honra da mulher amazónica e o bom nome da instituição militar.O Exército, alarmado, decidiu tomar medidas radicais. Garantir um serviço de prostituição capaz de chegar aos mais isolados aquartelamentos da selva. Um bordel castrense e nómada, por assim dizer. Para dirigir tão delicada tarefa chamaram um dos mais organizados, discretos, disciplinados e regrados dos seus oficiais: Pantaleão Pantoja. Um homem sem mácula para uma missão sensível.



Em poucos meses, a operação estava montada com milimétrica precisão militar, escapando, até ao último momento, ao obstinado Pantoja o absurdo da sua função. "Panta" tinha, ao serviço da Nação, um dedicado grupo de civis. As suas "visitadoras". Não era apenas um eufemismo. Elas partiam em embarcações e, ao longo do rio Amazonas, onde houvesse soldadesca aflita, as suas necessidades seriam satisfeitas em troca de parte do seu pre, que revertia para o SVGPFA (Serviço de Visitadoras para Guarnições, Postos de Fronteira e Afins). A bem da Pátria, Pantaleão montara um eficaz serviço de prostitutas ao domicilio. A mais bem estruturada das divisões das Forças Armadas peruanas.



A deliciosa história de Vargas Llosa tem um paralelo nacional. O primeiro a defender a necessidade de um serviço visitadoras português foi um oficial de baixa patente mas, ainda assim, um estratega visionário: João Duque. O oficial a quem foi entregue esta tarefa, o nosso Pantaleão Pantoja, chama-se Miguel Relvas. Visitadoras, por enquanto, só temos uma: a Rádio e Televisão de Portugal. Ainda assim, a missão confiada por Relvas à sua primeira recruta não pecou por falta de ambição. O primeiro destino não foi um pequeno aquartelamento do rio Amazonas, mas uma capital africana no extremo sul do Atlântico, onde um insaciável e exigente cliente a esperava. Relvas mostrou a visitadora, ela fez o serviço e agora espera-se que o visitado compre definitivamente o produto. Outros do ramo, no sector privado, já tentaram este expediente para resolver os seus problemas de tesouraria. Mas nunca com tanto arrojo como o nosso Pantaleão Relvas.



Como a coisa aconteceu aos olhos de todos (Relvas simpatiza com a filosofia holandesa da exibição em montra), todos testemunhamos este momento. Ficámos, apesar da libertinagem, com uma sensação de ter entrado numa máquina do tempo. Vendo o programa especial "Reencontro" (16 de Janeiro), organizado pela RTP e transmitido em direto de Luanda, pudemos sentir o velho odor da televisão pública do Estado Novo. Nem no período em que era a única televisão disponível se atingiu tais níveis de pornografia. Aliás, desde a escandalosa transmissão do "Império dos Sentidos" em canal aberto que o país não assistia a uma coisa que tão facilmente chocasse as almas mais sensíveis.



Confesso: o voyeurismo é o meu pecado. E se a nossa democracia oferece as suas vergonhas ao primeiro mafioso disposto a pagar, que ao menos o faça à frente de todos. E fez. Tal como as visitadoras, a entrega foi ao domicílio. E o nosso Pantaleão assistiu, ao vivo, ao estimulante momento.



Por ali desfilaram corruptos engravatados e mafiosos bem falantes. Com o pudor de estreante no submundo de Relvas, Fátima Campos Ferreira, quase pedindo desculpas, ainda fez uma leve e cuidadosa referência à corrupção. Mas todo o programa aconteceu como se em Angola houvesse democracia, sociedade civil livre e empresas detidas por gente que não seja do MPLA ou ligada às forças armadas.



O serviço foi completo e fez-se com toda a higiene e segurança. Não houve, ao contrário do que costuma acontecer por esta espelunca, espaço para opositores, críticos ou indignados. Naquele estabelecimento o ambiente foi o melhor. O cliente estava visivelmente satisfeito e parece-me que vai voltar. No fim, quase posso garantir, vai ficar-nos com a primeira visitadora. Mas Pantaleão Relvas não terá descanso. Ainda há tantas pedacinhos da nossa democracia para vender. A liberdade de imprensa é só o primeiro. Tal como Pantaleão, Relvas dá o seu melhor pela Nação. Tal como Pantaleão, escapa-lhe a incompatibilidade da função de governante com o lenocínio.



A coisa foi há mais de uma semana, é verdade. Mas venho a este tema porque só ontem se soube como o que era, teoricamente, defendido por João Duque (a censura a quem ponha em causa os negócios deste governo), é já política oficial na RTP. Pedro Rosa Mendes - jornalista e escritor, que conhece bem Angola - fez uma violenta  crítica àquele programa no seu espaço de opinião na Antena 1. Foi despedido dias depois. Por essa razão. É esta a lei de Relvas.



Espero agora a reação de alguns jornalistas mediáticos que, nos últimos cinco anos, fizeram um justo combate contra a asfixia democrática. Estou seguro que Rosa Mendes contará com a sua solidariedade empenhada. Aquela que se rege por valores democráticos e deontológicos sem olhar a cores partidárias.



Publicado no Expresso Online»





quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

OLHANDO PARA O FUTEBOL



O Barcelona eliminou o Real Madrid da Taça do Rei de Espanha vencendo em Madrid por 2-1 e empatando em Barcelona por 2-2.


Pessoalmente, detesto o Real Madrid, porque é um clube associado ao fascismo espanhol, o partido fascista espanhol, que é legal, «A Falange», apoia o Real Madrid.


No entanto há algo que me faz ver o Real Madrid, de maneira diferente, porque é treinado pelo português José Mourinho, e porque jogam lá três jogadores da selecção de Portugal, Cristiano Ronaldo, Pepe porque tem dupla nacionalidade é brasileiro e português ao mesmo tempo (e eu não sou nada xenófobo como parece ser o outro defesa do Real Madrid, que desertou dum treino da selecção de Portugal, Ricardo Carvalho, por ser substituído pelo seleccionador e treinador da selecção portuguesa Paulo Bento, precisamente por Pepe) e Fábio Coentrão.








Vivendo Portugal uma época de recessão apetece ver portugueses entre os melhores do Mundo, no futebol é claro. Diziam os romanos que para ser feliz o povo precisava de duas coisas: pão e circo. O pão simboliza o emprego, o circo hoje é o futebol, o único desporto de massas, verdadeiramente universal, que os ingleses inventaram.

Vi os dois jogos e vi que a melhor equipa foi o Barcelona e que o melhor treinador foi Pepe Guardiola. E também vi que Messi, actualmente, é bastante melhor do que Cristiano Ronaldo. Cristiano Ronaldo é um super-atleta, alto (1,85 m), forte (85 Kg de peso) e com uma velocidade quase insuperável.

Messi é baixinho (1,69 m), não tem velocidade que se possa comparar com a de Cristiano Ronaldo, nem força (67 kg de peso), para Messi é impossível saltar com Cristiano Ronaldo.

Cristiano Ronaldo chegou a ser o melhor jogador do Mundo, quando estava no Manchester United. No Real Madrid não se esforça tanto e desconcentra-se. Hoje, em Barcelona, Cristiano Ronaldo saltou a grande altura e cabeceou quando o jogo estava 2-2. Se estivesse muito concentrado tinha metido a bola dentro da baliza do Barcelona e o Real Madrid vencia o jogo por 3-2 e vencia também a eliminatória.

Mourinho teve medo ao Barcelona no jogo de Madrid e isso foi-lhe fatal. Esse medo foi transmitido aos jogadores do Real Madrid que também tiveram medo ao Barcelona e muito pouco se esforçaram, pois permitiram ao Barcelona ter mais de 70% de posse de bola.

Mourinho foi o melhor treinador do Mundo, quando com o Inter de Milão eliminou o Barcelona e venceu a liga dos campeões europeus de futebol, apesar de no segundo jogo, em Barcelona o árbitro ter estado do lado do Barcelona, obrigando o Inter a jogar com dez jogadores, devido a uma expulsão desonesta.

Reconheço que o Barcelona tem a melhor equipa de futebol do Mundo.



Mas há um motivo porque detesto o Barcelona, porque é um clube corrupto, que compra os árbitros. Essa corrupção foi muito evidenciada no jogo Chelsea-Barcelona para a Liga dos Campeões da Europa (em 2009), em que o Chelsea foi roubado escandalosamente, como se pode ver no vídeo em anexo. Pepe Guardiola devia de ter vergonha por ter jogado a final da Liga  dos Campeões da Europa em 2009, quando, de acordo com as regras do futebol, o Chelsea teria goleado o Barcelona, provavelmente todos os penáltis claros, claríssimos, contra o Barcelona, teriam dado cada um deles um golo a favor do Chelsea.


 Odeio a corrupção, nomeadamente no desporto. E neste jogo Barcelona Real Madrid, o Real Madrid marcou três golos limpos e empatou 2-2. Um dos três golos do Real Madrid foi mal anulado pelo árbitro.

Pepe Guardiola é o melhor treinador do mundo, mas é um homem desonesto, na sua profissão, ensina os jogadores do Barcelona a serem desonestos durante o jogo, como se pode ver no vídeo a seguir, que mostra que a desonestidade e a infâmia dominam o futebol ao mais alto nível:



Por outro lado não deixo de assinalar os dois excelentes golos de Cristiano Ronaldo, um em Madrid, outro em Barcelona, e também o facto de Mourinho ter perdido o medo ao Barcelona neste segundo jogo, em Barcelona.